Portal da Justiça Federal da 4ª Região
Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
Seção Judiciária de Santa Catarina
Seção Judiciária do Paraná
Intra da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
M
A+
A
A-

TNU autoriza saque do PIS de trabalhador desempregado há mais de 20 anos

13 de setembro de 2012

A Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais (TNU) autorizou que um trabalhador desempregado involuntariamente há mais de 20 anos efetuasse o saque de cerca de R$ 950,00, quantia disponível na sua conta do Programa de Integração Social (PIS). O beneficiário alegou estar passando por uma série de problemas financeiros, além de sofrer de transtornos mentais e comportamentais e atrofia muscular, que o obriga a se locomover apenas por meio de cadeira de rodas.

O julgamento ocorreu ontem (11/9) durante sessão da TNU, reunida na sede da Seção Judiciária do Paraná, em Curitiba (PR).

No acórdão recorrido, a 1ª Turma Recursal da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul havia julgado improcedente o pedido, por entender que as razões apresentadas pelo trabalhador não se enquadravam nas hipóteses previstas na Lei Complementar 26, de 1975, para autorização da retirada do benefício. A legislação que regula o PIS estabelece que o saque só pode ser feito em algumas situações específicas, como ocorrência de casamento, aposentadoria, invalidez, morte, entre outros casos.

Entretanto, o relator do caso na TNU, juiz federal Janilson Siqueira, justificou em seu voto que já há um entendimento da própria Turma Nacional no sentido de se flexibilizar a interpretação das hipóteses previstas para retirada do PIS, principalmente, em casos nos quais os trabalhadores estejam desempregados há mais de três anos. De acordo com o magistrado, “desde que fique comprovada a situação de desemprego involuntário, justifica-se a aplicação analógica da Lei 8.036, de 1990”, a qual dispõe sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Saiba mais

O PIS tem a finalidade de promover a integração do empregado com o desenvolvimento da empresa. Por meio do cadastramento no Programa, o trabalhador recebe um número de inscrição, que possibilitará consulta e saques dos benefícios sociais administrados pela Caixa Econômica. A inscrição é realizada apenas uma vez, pelo empregador, no primeiro contrato de trabalho com carteira assinada.

Quem se cadastrou no PIS até 4 de outubro de 1988 e recebeu Quotas de participação PIS/PASEP, pode ter saldo de Quotas. O saque das Quotas pode ser solicitado a qualquer momento, exclusivamente nas agências da Caixa Econômica, desde que o trabalhador preencha os requisitos estabelecidos na Lei Complementar 26, de 1975.

Fonte: Imprensa CJF

Processo nº 2010.71.50.015743-0

OUTRAS NOTÍCIAS

JF Bento Gonçalves (RS) absolve professor acusado de improbidade administrativa
5 de fevereiro de 2016
A 1ª Vara Federal de Bento Gonçalves julgou improcedente pedido para condenar um professor por praticar atos de improbidade administrativa. Ele teria atuado como tutor presencial [Leia mais »]


JF em Passo Fundo (RS) nega inclusão no ProUni de estudante que cursou escola particular e curso pré-vestibular
5 de fevereiro de 2016
O Poder Judiciário não pode criar exceção a critério objetivo definido em lei, sob pena de inviabilizar o sistema proposto e prejudicar aquele que efetivamente deveria ser o [Leia mais »]


Realizada primeira audiência de custódia na Justiça Federal gaúcha
5 de fevereiro de 2016
Aconteceu no último sábado (30/1) a primeira audiência de custódia no âmbito da Justiça Federal gaúcha (JFRS). O ato foi conduzido pelo juiz federal Ricardo Alessandro Kern, [Leia mais »]


Justiça Federal em Cruz Alta (RS) nega pedido de indenização por atraso em entrega dos Correios
4 de fevereiro de 2016
A 1ª Vara Federal de Cruz Alta (RS) negou pedido de um morador da cidade que pleiteava indenização no valor de 20 salários mínimos em função do atraso na entrega de uma [Leia mais »]


Judiciário não pode determinar adesão ao FIES se não há dotação orçamentária, decide JFRS
4 de fevereiro de 2016
A 1ª Vara Federal de Santa Cruz do Sul (RS) negou pedido de uma estudante de Ciências Contábeis que pleiteava sua inclusão entre os beneficiados pelo Fundo de Financiamento [Leia mais »]


Rua Otavio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre (RS) - PABX (51) 3214 9000