Portal da Justiça Federal da 4ª Região
Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
Seção Judiciária de Santa Catarina
Seção Judiciária do Paraná
Intra da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
M
A+
A
A-

JF em Santa Maria (RS) condena ex-professor da UFSM por fraude no IR

15 de agosto de 2017

Professor não teria declarado acréscimo patrimonial e teria deduzido despesas médicas realizadas pela sogra

A 3ª Vara Federal de Santa Maria condenou, na sexta-feira (11/8), um ex-professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) por fraude no Imposto de Renda (IR). Ele terá que pagar mais de R$ 350 mil para reparação dos danos causados aos cofres públicos. A sentença é do juiz Daniel Antoniazzi Freitag. 

A denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) acusou o médico veterinário de omitir acréscimo patrimonial de mais de R$ 1 milhão na declaração de IR, valor que foi utilizado no arrendamento de um terreno. Ele também não informou o recebimento de R$ 450 mil por atividade rural e deduziu despesas médicas realizadas no tratamento da sogra, que não constava na sua lista de dependentes. 

Em sua defesa, o réu alegou que o montante utilizado na aquisição do imóvel surgiu de um empréstimo, e que o erro na declaração de rendimentos referentes à atividade rural ocorreu por um provável equívoco de seu contador, que teria deixado de registrar uma nota fiscal. No que diz respeito aos gastos com o tratamento médico, o homem declarou desconhecer a legislação e que praticou o ato por “ignorância”.

Ao analisar o conjunto probatório, o magistrado entendeu que a autoria e a materialidade estariam comprovadas, e que o réu não teria conseguido apresentar provas para suas teses defensivas. Ele destacou que o professor é pessoa culta, além de ter vasta experiência na atividade agropecuária, de forma que não pode alegar ignorância tanto no seu campo de conhecimento, como em área diversa.

Freitag julgou procedente a ação condenando o homem a dois anos e nove meses de reclusão e ao pagamento de 50 dias-multa e de R$ 355.897,36, corrigidos monetariamente, para reparação dos danos causados. A pena privativa de liberdade foi substituída por prestação de serviços comunitários e prestação pecuniária. A condenação se deu no âmbito da primeira instância e é passível de recurso no TRF4.

OUTRAS NOTÍCIAS

Forças Armadas: JFRS decide que União deve estipular casos de dispensa de licenciamento ambiental realizado pelo Ibama
20 de novembro de 2017
A JFRS concedeu 120 dias para que seja editado o decreto que definirá quais atividades militares estão dispensadas de licenciamento ambiental por parte do Ibama. A decisão é da [Leia mais »]


Três semanas após inauguração, unidade da Justiça Federal em Nova Prata (RS) tem primeiro processo sentenciado
17 de novembro de 2017
Um dos primeiros processos ajuizados na Unidade Avançada de Atendimento (UAA) da Justiça Federal em Nova Prata (RS) foi solucionado em menos de três semanas. Em sentença [Leia mais »]


JFRS: Petrobrás violou princípio da administração pública ao batizar área de exploração como “Campo de Lula”
17 de novembro de 2017
A 5ª Vara Federal de Porto Alegre determinou que a Petrobrás altere o nome da área de exploração petrolífera batizada em 2010 de “Campo de Lula”. Segundo o juiz federal [Leia mais »]


JFRS determina que Incra promova o licenciamento ambiental em assentamentos próximos à Bagé (RS)
16 de novembro de 2017
A 1ª Vara Federal de Bagé determinou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) promova o licenciamento ambiental corretivo dos assentamentos Banhado [Leia mais »]


Programação sobre saúde leva acervo da Santa Casa ao Espaço Expositivo da JFRS
16 de novembro de 2017
O Núcleo de Documentação e Memória da Justiça Federal do RS (JFRS) inicia amanhã (17/11) mais uma etapa do evento Direitos Humanos: uma questão de Justiça”. Com foco no [Leia mais »]


Rua Otavio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre (RS) - PABX (51) 3214 9000