Portal da Justiça Federal da 4ª Região
Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
Seção Judiciária de Santa Catarina
Seção Judiciária do Paraná
Intra da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
M
A+
A
A-

JFRS determina que Incra promova o licenciamento ambiental em assentamentos próximos à Bagé (RS)

16 de novembro de 2017

A 1ª Vara Federal de Bagé determinou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) promova o licenciamento ambiental corretivo dos assentamentos Banhado Grande e Meia Água, localizados no município gaúcho de Hulha Negra, Conquista dos Cerros e Santa Luciana, que ficam em Candiota e Aceguá, respectivamente. O órgão deverá realizar primeiramente o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA). A sentença é do juiz federal substituto Rafael Tadeu Rocha da Silva e foi proferida na quarta-feira (15/11).

A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) também contra a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) após um inquérito civil apontar omissão dos órgãos na regularização e exigência dos licenciamentos ambientais nos empreendimentos agrícolas cujas atividades dependem de irrigação. O autor pontuou que flexibilizar as exigências deste procedimento nos assentamentos, conforme nova resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), seria ilegal por ausência de motivação válida.

Em sua defesa, o Incra afirmou que o modelo utilizado na normativa anterior partia de premissas equivocadas em relação à Política de Reforma Agrária e se mostrou ineficaz na proteção ambiental. Já a Fepam ressaltou que sua atuação se reduz ao cumprimento do que é determinado pela legislação, não fazendo juízo de valor sobre a norma.

Após avaliar os autos, o magistrado decidiu julgar a ação procedente por entender que “o licenciamento ambiental das atividades desenvolvidas nos projetos de assentamento é preventivo dos possíveis danos que essas atividades venham a causar”. Para ele, “a despeito de todo arcabouço normativo constitucional, legal e infralegal, harmônico e consentâneo com o direito fundamental ao meio ambiente, a Resolução CONAMA n° 458/2013 alterou drasticamente as disposições atinentes ao licenciamento ambiental em assentamentos de reforma agrária”, optando pela “pulverização, fracionamento e extrema simplificação” deste processo.

Silva acrescentou que “é inegável a grande pressão sobre os recursos naturais exercida pelos assentamentos de reforma agrária, principalmente quando se leva em conta o crescimento das famílias dos assentados e de que forma tal oscilação interferirá nos recursos naturais. Em empreendimentos do porte e de características tão peculiares como estes, há enorme insegurança ambiental quando são instalados sem um prognóstico acerca das interferências ambientas e sem elaboração de medidas mitigadoras dos danos causados”.

Segundo o magistrado, “é inconstitucional a dispensa de licenciamento ambiental para empreendimentos de tal porte, visto que o procedimento simplificado de regularização ambiental, por si só, é incapaz de prever os panoramas de degradação ambiental e providências necessárias à recuperação do ecossistema”. Ele determinou que o Incra elabore o EIA/RIMA e promova o licenciamento ambiental corretivo nos assentamentos já criados.  

 A Fepam terá que exigir a elaboração dos estudos ambientais pertinentes e o licenciamento dos projetos de assentamento para reforma agrária. Cabe recurso da sentença ao TRF4.

Ação Civil Pública nº 5000366-22.2017.4.04.7109/RS 

OUTRAS NOTÍCIAS

JFRS afasta gestora do Hospital de Taquara e determina bloqueio de contas
14 de dezembro de 2017
A 1ª Vara Federal de Novo Hamburgo (RS) concedeu tutela de urgência determinando o imediato afastamento do Instituto de Saúde, Educação e Vida (ISEV) da administração do [Leia mais »]


JFRS: palestra abordou o fortalecimento dos vínculos comunitários para reduzir a incidência da violência entre jovens
13 de dezembro de 2017
Crianças e adolescentes das periferias, que possuem inúmeras necessidades não atendidas em função de políticas públicas frágeis, utilizam, muitas vezes, a agressividade [Leia mais »]


Ex-prefeito e ex-secretário de Segredo (RS) são condenados por irregularidades em reforma de ponte
12 de dezembro de 2017
Um ex-prefeito de Segredo e o ex-secretário de obras do município terão que devolver R$ 140 mil aos cofres públicos. Na última semana (6/12), eles foram condenados por [Leia mais »]


Reintegração de posse envolvendo 375 residências em Porto Alegre acontece de forma pacífica
7 de dezembro de 2017
Foi conduzida de forma pacífica e sem intercorrências uma reintegração de posse realizada ontem (6/12) na zona norte de Porto Alegre. O empreendimento Porto Novo, ocupado [Leia mais »]


TRF4 admite IRDR sobre produção de prova testemunhal para aposentadoria rural
7 de dezembro de 2017
É possível dispensar a produção de prova testemunhal em juízo para comprovação de labor rural, quando houver prova oral colhida em justificação realizada no processo [Leia mais »]


Rua Otavio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre (RS) - PABX (51) 3214 9000