Portal da Justiça Federal da 4ª Região
Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
Seção Judiciária de Santa Catarina
Seção Judiciária do Paraná
Intra da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
M
A+
A
A-

JFRS determina que União e Funasa dêem prosseguimento à licitação para obras sanitárias em quilombo de Viamão

17 de julho de 2017

A 9ª Vara Federal de Porto Alegre (RS) determinou que União e Fundação Nacional de Saúde (Funasa) dêem prosseguimento ao processo licitatório para realização de obras sanitárias no quilombo Cantão das Lombas, em Viamão. A liminar, publicada na quinta-feira(13/7), é da juíza Clarides Rahmeier.

Autor da ação, a Defensoria Pública da União (DPU) alegou que a fundação se sensibilizou com as condições precárias das instalações existentes na comunidade e abriu procedimento interno para construir ou reformar alguns banheiros do local. Narrou que a Funasa contratou uma empresa para realizar as obras, mas esta teria abandonado o projeto. A entidade teria se comprometido a iniciar novos procedimentos licitatórios, porém estaria aguardando disponibilidade de recursos.

No decorrer da tramitação processual, foram incluídos também como réus a União e o Município de Viamão. Em sua defesa, a Funasa argumentou que, apesar de ter tomado a iniciativa para solucionar o problema, a atribuição seria de competência do gestor municipal. Sustentou que, em função das disposições constitucionais, não poderia assumir a tarefa e que não teria verba para a conclusão do trabalho.

O Município não se manifestou. Já a União afirmou que não teria havido omissão, por parte da fundação, na adoção de políticas públicas, o que não legitimaria a intervenção do Poder Judiciário. Em relação à transferência de recursos para o Estado e o Município, argumentou que seria necessária a apresentação prévia de projetos para inclusão em orçamento e posterior empenho. Conforme explicou, o procedimento não teria sido realizado pela administração local.

Questão de saúde pública

Ao analisar os autos, a juíza federal Clarides Rahmeier pontuou que as condições sanitárias precárias do quilombo seriam incontroversas. Segundo ela, a própria Funasa reconhece os riscos à saúde da comunidade, tanto pela possibilidade de contaminação de recursos hídricos quanto pelo fato de o tratamento inadequado dos dejetos ser meio de transmissão de doenças.

De acordo com a magistrada, a fundação teria iniciado as obras, que só não foram concluídas pelo abandono da empresa contratada. “O que se verifica é o repasse mútuo de obrigações entre os entes públicos, sem que o problema real da comunidade seja efetivamente resolvido, destacou.

“A inércia e a manutenção da condição sanitária em nível precário não é, nesse caso, passível de enquadramento como questão de discricionariedade administrativa, em razão dos prejuízos já mencionados. Em outras palavras, a ‘liberalidade’ no planejamento de políticas públicas não pode ser, simplesmente, não realizar política pública alguma”, afirmou.

Clarides deferiu a tutela de urgência, determinando que a União providencie, no prazo de 30 dias, o recurso financeiro necessário à realização das obras sanitárias no quilombo Cantão das Lombas. A Funasa deverá publicar edital de licitação 60 dias após a disponibilização do dinheiro. Em caso de descumprimento, foi fixada multa diária no valor de R$ 500,00. Cabe recurso ao TRF4.

AÇÃO CIVIL PÚBLICA Nº 5039111-35.2016.4.04.7100/RS

OUTRAS NOTÍCIAS

Forças Armadas: JFRS decide que União deve estipular casos de dispensa de licenciamento ambiental realizado pelo Ibama
20 de novembro de 2017
A JFRS concedeu 120 dias para que seja editado o decreto que definirá quais atividades militares estão dispensadas de licenciamento ambiental por parte do Ibama. A decisão é da [Leia mais »]


Três semanas após inauguração, unidade da Justiça Federal em Nova Prata (RS) tem primeiro processo sentenciado
17 de novembro de 2017
Um dos primeiros processos ajuizados na Unidade Avançada de Atendimento (UAA) da Justiça Federal em Nova Prata (RS) foi solucionado em menos de três semanas. Em sentença [Leia mais »]


JFRS: Petrobrás violou princípio da administração pública ao batizar área de exploração como “Campo de Lula”
17 de novembro de 2017
A 5ª Vara Federal de Porto Alegre determinou que a Petrobrás altere o nome da área de exploração petrolífera batizada em 2010 de “Campo de Lula”. Segundo o juiz federal [Leia mais »]


JFRS determina que Incra promova o licenciamento ambiental em assentamentos próximos à Bagé (RS)
16 de novembro de 2017
A 1ª Vara Federal de Bagé determinou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) promova o licenciamento ambiental corretivo dos assentamentos Banhado [Leia mais »]


Programação sobre saúde leva acervo da Santa Casa ao Espaço Expositivo da JFRS
16 de novembro de 2017
O Núcleo de Documentação e Memória da Justiça Federal do RS (JFRS) inicia amanhã (17/11) mais uma etapa do evento Direitos Humanos: uma questão de Justiça”. Com foco no [Leia mais »]


Rua Otavio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre (RS) - PABX (51) 3214 9000