Portal da Justiça Federal da 4ª Região
Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
Seção Judiciária de Santa Catarina
Seção Judiciária do Paraná
Intra da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
M
A+
A
A-

Liminar da JFRS determina suspensão do aumento de tributos sobre combustíveis

24 de agosto de 2017

A 13ª Vara Federal de Porto Alegre (RS) determinou hoje (24/8), em sede liminar, a suspensão dos efeitos do Decreto nº 9.101/17, que reajustou tributos sobre os combustíveis. A decisão, que vale apenas para o Rio Grande do Sul, é do juiz federal Ricardo Nüske.

Duas ações populares independentes foram movidas por advogados gaúchos. Uma delas teve como autor o presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no RS, Ricardo Ferreira Breier; enquanto a outra foi ajuizada pela presidente da Comissão Especial de Defesa do Consumidor da OAB/RS, Teresa Cristina Fernandes Moesch. Tendo apresentado o mesmo objeto e fundamentação, ambas tiveram deferido o pedido liminar.

Os autores apontaram a inconstitucionalidade do decreto publicado em julho deste ano, alegando a violação das garantias e princípios constitucionais da legalidade e da anterioridade nonagesimal. Afirmaram que o aumento das alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e para o COFINS incidentes sobre os combustíveis, realizado mediante ato do executivo, configuraria “ato lesivo à própria moralidade administrativa”. Para os advogados, direitos de todos os cidadãos teriam sido feridos, pois a majoração da carga tributária “foi repassada imediatamente ao preço dos combustíveis”.

Ao analisar o pedido, o juiz Ricardo Nüske ponderou que, apesar da relevância econômica e política da medida, o Estado não poderia legislar abusivamente, “ainda mais em afronta a direitos fundamentais do cidadão, como os direitos limitadores do poder de tributar”. Com relação à legalidade do ato normativo, a Constituição Federal proíbe que a União e outros entes exijam ou aumentem tributo sem lei que o estabeleça. Nüske explicou que as exceções constitucionalmente previstas “devem ser interpretadas restritivamente”.

O magistrado salientou que, ao determinar a vigência imediata, o decreto suprimiria a norma constitucional que prevê que a cobrança de um novo tributo ou alíquota somente poderia ocorrer depois de 90 dias da data de publicação da lei. Ele também ressaltou a importância deste princípio, que “confere segurança jurídicas às relações jurídico-tributárias entre cidadão contribuinte e Estado”.

Quanto ao perigo de dano, que também é requisito da concessão de tutela de urgência, o juiz esclareceu que estaria materializado na repercussão instantânea no aumento de preços dos combustíveis. Ele deferiu o pedido, suspendendo imediatamente os efeitos do Decreto nº 9.101 de 2017, e requisitou o envio de notificação ao Diretor da Agência Nacional do Petróleo (ANP) para o imediato cumprimento da decisão no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul.

AÇÃO POPULAR Nº 5043194-60.2017.4.04.7100/RS

AÇÃO POPULAR Nº 5043195-45.2017.4.04.7100/RS

OUTRAS NOTÍCIAS

JF Bento Gonçalves: homem flagrado com mais de uma tonelada de maconha condenado a 6,5 anos
22 de novembro de 2017
A 1ª Vara Federal de Bento Gonçalves (RS) condenou um homem a seis anos e seis meses de reclusão, por tráfico internacional de entorpecentes. Ele havia sido preso em flagrante [Leia mais »]


Justiça Federal determina devolução de quase R$ 2 milhões do contrato do Montanha dos Vinhedos
21 de novembro de 2017
A 1ª Vara Federal de Bento Gonçalves (RS) condenou a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Município daquela localidade pelo não-cumprimento do contrato do convênio que visava [Leia mais »]


Forças Armadas: JFRS decide que União deve estipular casos de dispensa de licenciamento ambiental realizado pelo Ibama
20 de novembro de 2017
A JFRS concedeu 120 dias para que seja editado o decreto que definirá quais atividades militares estão dispensadas de licenciamento ambiental por parte do Ibama. A decisão é da [Leia mais »]


Três semanas após inauguração, unidade da Justiça Federal em Nova Prata (RS) tem primeiro processo sentenciado
17 de novembro de 2017
Um dos primeiros processos ajuizados na Unidade Avançada de Atendimento (UAA) da Justiça Federal em Nova Prata (RS) foi solucionado em menos de três semanas. Em sentença [Leia mais »]


JFRS: Petrobrás violou princípio da administração pública ao batizar área de exploração como “Campo de Lula”
17 de novembro de 2017
A 5ª Vara Federal de Porto Alegre determinou que a Petrobrás altere o nome da área de exploração petrolífera batizada em 2010 de “Campo de Lula”. Segundo o juiz federal [Leia mais »]


Rua Otavio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre (RS) - PABX (51) 3214 9000