Notícia

JF em Novo Hamburgo (RS) completa 25 anos com homenagens e roda de conversa entre magistrados e servidores

13 de setembro de 2018 - 17:50
cinco pessoas sentadas conversam
Instalada em 1993, quando ainda era vara única, a Justiça Federal em Novo Hamburgo celebrou nesta quinta-feira (13/9) seu 25º aniversário. Além das homenagens, foi realizada uma roda de conversa, com magistrados e servidores, relembrando momentos marcantes desta história. auditório lotado Participaram da conversa os juízes federais Dr. Eduardo Gomes Philippsen, diretor do Foro da Subseção Judiciária de Novo Hamburgo, Taís Schilling Ferraz, Alexandre Rossato da Silva Ávila e Gustavo Schneider Alves, e os servidores Silvia de Castro Pereira e Clóvis Silveira dos Santos. Também estiveram presentes no evento os juízes federais Alex Péres Rocha, Catarina Volkart Pinto, Denise Dias de Castro Bins Schwank, Guilherme Gehlen Walcher, Joseane de Fátima Granja, Maria Angélica Carrard Benites, Maria Cristina Saraiva Ferreira e Silva, Nórton Luís Benites e Raphael de Barros Petersen. O evento contou ainda com a presença do presidente da Câmara de Vereadores do município, Felipe Kuhn Braun; da delegada da Receita Federal em Novo Hamburgo, Lilian Luiza Trapp; do Procurador Seccional da Fazenda no município, Tarso Wayhs Tech; da advogada Sandra Inês Schlabrendorff, representando a Presidência da OAB, Subseção de São Leopoldo; do delegado de Polícia Federal Roger Soares Barroso, representando a Superintendência da Polícia Federal no RS; e representantes da Caixa Econômica Federal. homem discursa em auditório lotado O diretor do Foro local, juiz federal Eduardo Gomes Philippsen, agradeceu as presenças de magistrados e servidores, incluindo os aposentados, e dos representantes de órgãos públicos, conciliadores e advogados dativos. Ele ressaltou a importância de resgatar a memória da Justiça Federal nestes 25 anos, e traçou um breve panorama da história da instituição no Brasil, em contraponto com a história local em Novo Hamburgo. A juíza Taís Schilling Ferraz, hoje convocada no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), salientou a grande expectativa com a instalação da 1ª Vara Federal na época. “Fomos extremamente bem recebidos e bem tratados pela comunidade”, disse a magistrada, relembrando que os processos chegavam de caminhão.  Taís ainda agradeceu à servidora aposentada Silvia de Castro Pereira, que foi sua primeira diretora de Secretaria. mulher fala ao microfone, observada por outras 5 pessoas sentadas em semicírculo Para o juiz Alexandre Rossato da Silva Ávila, foi marcante a velocidade com que tudo mudou no Judiciário. “Eu usava uma máquina Olivetti Linha 98, depois de datilografar, montava as sentenças com xerox, e gastava uma caneta esferográfica por semana”, comentou o magistrado, que também está convocado no TRF4. Ele afirmou sentir uma grande alegria em rever os colegas com quem trabalhou na época. “O nível profissional dos servidores que trabalham aqui é excepcionalmente alto”, elogiou o juiz Gustavo Schneider Alves, que hoje atua na 2ª Vara Federal de Erechim. Para ele, a Subseção Judiciária de Novo Hamburgo continua sendo uma segunda casa. homem fala ao microfone, observado por pessoas sentada á sua volta A servidora Silvia de Castro Pereira, já aposentada, lembrou das noites de serão “descascando os abacaxis dos processos, trabalhando em conjunto com a Dra. Taís”. Ela também declarou que foi a dedicação das pessoas que trabalharam para construir esta Subseção que fez com que a JF de Novo Hamburgo se tornasse o que é hoje. “Eu não tenho filhos, mas a Justiça Federal em Novo Hamburgo é a minha filha, que me dá orgulho ao completar 25 anos hoje”, completou, emocionada. Já Clóvis Silveira dos Santos, que continua atuando na área administrativa da subseção, relatou algumas histórias peculiares ocorridas ao longo desses anos no trabalho. “Para mim, a Justiça Federal de Novo Hamburgo é uma grande família”, completou. homem idoso fala ao microfone, observado pelas pessoas sentadas à sua volta Durante o evento, foi homenageado o advogado Adalberto Alexandre Snel, que foi o primeiro a protocolar uma petição na instituição. Ele lembrou de processos marcantes da época, e elogiou a atuação de magistrados e servidores. “Foi tudo exitoso, graças à dedicação de pessoas que se comprometeram a prestar um serviço público de qualidade”, declarou o advogado. Foram homenageados todos integrantes da primeira leva de de juiz e servidores da então chamada Vara Única de Novo Hamburgo, nas pessoas de: Dra. Taís Schilling Ferraz, Ana Olinda Vilanova, Ana Paula Velho Rigo, Clóvis Silveira dos Santos, Marlise Seifert Grala, Sílvia de Castro Pereira e Zaeli Simas dos Santos. Embora não estivessem presentes, também foram lembrados: Cassius Bonotto Guerra, Jândia Jacyra Telles Martins da Rocha. pessoas em pé
A subseção iniciou suas atividades em 1993, em sede localizada na Avenida Pedro Adams Filho, 4007. Na época, oito servidores atuavam na vara única, sob jurisdição da juíza federal Taís Schilling Ferraz. Com o crescimento da demanda, porém, não demorou para que a 2ª e a 3ª varas fossem instaladas em 1998. Atualmente, a estrutura conta com seis varas. Doze magistrados e 122 servidores atuam em cerca de 31 mil processos. A subseção tem jurisdição sobre os municípios de Araricá, Bom Princípio, Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha, Igrejinha, Ivoti, Lindolfo Collor, Linha Nova, Morro Reuter, Nova Hartz, Novo Hamburgo, Parobé, Portão, Presidente Lucena, Riozinho, Rolante, Santa Maria do Herval, São José do Hortêncio, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, Sapiranga, Taquara e Três Coroas, bem como recebe ações das Unidades Avançadas de Atendimento de São Leopoldo e Gramado.  

Tópicos relacionados

Outras notícias

Todas as notícias
Logotipo do projeto Portas para o Futuro

Aplicativos Eproc

Loja Google Play Loja App Store
www2.jfrs.jus.br