Notícias

Justiça Federal em Porto Alegre (RS) condena acusados de roubo a agência da Caixa

31 de maio de 2017 - 18:30

A 22ª Vara Federal de Porto Alegre (RS) condenou dois acusados de roubo a uma agência da Caixa Econômica Federal. Eles também foram condenados por roubar e clonar a placa do veículo utilizado no crime. A sentença, da juíza federal Cristina Albuquerque Vieira, foi proferida em 13/5.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal, o assalto ao banco teria ocorrido em dezembro de 2013. Junto a um menor de idade e a um quarto indivíduo não identificado, os dois homens teriam utilizado explosivos para arrombar terminais de autoatendimento da agência lozalizada no bairro Santana. Eles teriam levado mais de R$ 64 mil.

Em sua defesa, os réus alegaram que não haveria comprovação de sua participação nos delitos. Um deles afirmou que não teria sido identificado pelas testemunhas, enquanto o outro negou que fosse sua a voz registrada nas ligações telefônicas interceptadas pela polícia.

A magistrada, entretanto, entendeu que haveria provas suficientes para a condenação. Ela destacou os depoimentos do proprietário do veículo roubado e de uma moça que teria adquirido um telefone celular, também roubado, da namorada de um dos denunciados. Ligações telefônicas interceptadas pela Polícia Federal, objetos apreendidos nas residências dos réus e imagens de câmeras de segurança também teriam reforçado a autoria dos crimes. “Nota-se através dos diálogos supra, que além de os interlocutores se conhecerem e conviverem socialmente, todos comungam do mesmo receio de serem descortinados pela polícia em razão de um episódio ilícito envolvendo um carro, o qual encontra vinculação direta com o telefone repassado pelo réu à namorada (…), justamente o aparelho que foi roubado em conjunto com o veículo”, disse a juíza.

Os acusados foram condenados a 19 anos e dois meses e seis anos e dez meses de reclusão, respectivamente, em regime inicial fechado. Eles também deverão pagar pena de multa. Cabe recurso ao TRF4.

[Notícias anteriores]
www2.jfrs.jus.br