Mudança de hábitos

Programa de Sustentabilidade da JFRS expandiu para o interior em 2019

10 de janeiro de 2020 - 18:58

O ano de 2019 marcou a expansão do Programa de Sustentabilidade da Justiça Federal do RS (JFRS) para as sedes da instituição no interior. O resultado foi o desenvolvimento de ações que trabalharam para a mudança de atitude de magistrados, servidores, estagiários e colaboradores para um ambiente mais sustentável.

A iniciativa começou, em 2018, com o Projeto Futuridade na sede em Porto Alegre. Foram formados seis grupos de trabalho que elaboraram ações dentro dos eixos: Gestão de Resíduos, Construções Sustentáveis, Uso Racional de Recursos, Compras Públicas Sustentáveis, Qualidade de Vida no Ambiente de Trabalho, e Sensibilização e Capacitação de Pessoas.

Passo Fundo

Grupos planejam ações

Magistrados e servidores da Justiça Federal em Passo Fundo começaram, no segundo semestre do ano passado, a participar do Programa de Sustentabilidade com projetos que mudaram costumes e trabalharam a cultura institucional. As equipes formadas aceitaram o desafio de tratar os eixos Gestão de Resíduos, Uso Racional de Recursos/Combate ao Desperdício, Mobilidade e Logística, e Alimentação Orgânica.

Mudança de hábitos para uma vida mais sustentável e ambientalmente consciente foram produtos que a sede local obteve e que se agregam às atividades. As ações desenvolvidas resultaram na qualificação da reciclagem de resíduos, eliminação do uso de bombonas de água e copos plásticos, incentivo à carona solidária, realização do “Dia Sem Carro”, e aumento do consumo de produtos orgânicos.

Porto Alegre

Na capital, os grupos intensificaram os trabalhos no ano de 2019. O Eixo Gestão de Resíduos programou novos fluxos para o recolhimento e destinação dos resíduos, com o adequado encaminhamento. Uma parte do caminho percorrido está documentada na exposição fotográfica “Nós no Mundo”, que pode ser visitada no Espaço Expositivo da JFRS (9º andar/ala oeste).

O Eixo Construções Sustentáveis produziu o edital de chamamento público para a construção de prédio com características sustentáveis para futura locação para abrigar a sede da Justiça Federal em Santana do Livramento. Foi selecionado o construtor que apresentou maior número de requisitos de sustentabilidade na obra, que já está em curso. O imóvel será construído de forma a evitar desperdício de materiais, terá instalação de luminárias e equipamentos de ar condicionado com eficiência energética, dispositivos economizadores de água, sensores de presença de iluminação, uso de madeira certificada e de materiais regionais e redução de uso de materiais emissores de CO2. Também foram projetados ambiente com luz e ventilação naturais e adequados controle de insolação, permeabilidade do terreno, paisagismo funcional com aproveitamento de águas da chuva para irrigação e instalação de placas fotovoltaicas.

Já o projeto do Eixo Compras Públicas Sustentáveis, dentro outras ações, zerou a aquisição de copos plásticos em Porto Alegre, somente permanecendo em uso em unidades específicas os copos que estavam em estoque. Foram adquiridas canecas de vidro para utilização em eventos e reuniões. Nas áreas internas do prédio-sede também terminou o uso de bombonas de água. Agora, o fornecimento de água é disponibilizado por filtros e bebedouros instalados em todos os andares. Esta medida evitou a utilização de 506 mil copos plásticos, ou seja, mais de mil quilos de plástico deixaram de ser dispersados no meio ambiente. Em relação às bombonas, deixou-se de adquirir 3.442 unidades, que acabariam sendo eliminadas como resíduo futuramente.

O Eixo de Uso Racional de Recursos, por sua vez, apoiou a área técnica de Arquitetura na busca de solução para reduzir a utilização de água nos sanitários públicos do edifício-sede da capital. A reforma realizada nos banheiros em 2019 instalou torneiras e descargas ecológicas. O grupo está agora entrando em contato com pesquisadores acadêmicos para identificar as possibilidades de medição da economia de água após a modernização dos sanitários.

Novo Hamburgo

A Justiça Federal em Novo Hamburgo também está engajada no Programa de Sustentabilidade. A separação detalhada dos resíduos já foi implementada, com a separação de materiais de escrita, pilhas, cápsulas de café e tampinhas, entre outros. A sede também teve a instalação de 96 placas fotovoltaicas.

 Instalação é conectada à rede convencional possibilitando que eventuais excedentes de energia gerados formem créditos a serem compensados pela concessionária

Bento Gonçalves

Outubro de 2019 marcou o início do Programa de Sustentabilidade na Justiça Federal em Bento Gonçalves. Magistrados e servidores dividiram-se em três eixos: Mobilidade e Logística, Gestão de Resíduos, e Alimentação Orgânica. Foram realizadas palestra e dinâmica, conduzidas por consultoria contratada. Agora os grupos estão finalizando os planos de ação e iniciando a implementação dos projetos.

Sentados em semi-círculo, seis pessoas conversam
Grupos discutem temática do eixo escolhido para desenvolvimento de ações
JFRS inicia projeto de sustentabilidade
Justiça Federal do RS lança ações do Projeto Futuridade, com foco na sustentabilidade
JFRS implanta coleta seletiva de resíduos sólidos no prédio-sede da capital
Justiça Federal do RS terá sede sustentável em Santana do Livramento

Tópicos relacionados

Outras notícias

Todas as notícias
Logotipo do laboratorio de inovacao da JFRS Logotipo do projeto Portas para o Futuro

Aplicativos Eproc

Loja Google Play Loja App Store
www2.jfrs.jus.br