Operação Coroa: JF Caxias do Sul (RS) ouve testemunhas e interroga réus na próxima semana

23 de março de 2018

A 5ª Vara Federal de Caxias do Sul realiza, na segunda-feira (26/3), as audiências de instrução processual envolvendo a ação que investiga suposta associação de sete pessoas para tráfico internacional de drogas. O líder do grupo seria o brasileiro Jarvis Chimenes Pavão extraditado em dezembro e atualmente recolhido ao Presídio Federal de Mossoró (RN). O processo é baseado na investigação policial denominada Operação Coroa.

Ao longo da tarde, o juiz federal substituto Rafael Farinatti Aymone ouvirá as testemunhas arroladas pela acusação e pelas defesas e também interrogará os réus. As audiências serão realizadas de forma presencial na sede da instituição em Caxias do Sul e por videoconferência com os municípios de Bento Gonçalves e Porto Alegre (RS), Cascavel, Curitiba e Foz de Iguaçu (PR) e com o Presídio Federal de Mossoró.

Acusação

Em novembro de 2017, o Ministério Público Federal (MPF) ingressou com a denúncia contra sete pessoas alegando que elas se associaram para praticar reiteradamente o tráfico internacional drogas, principalmente, cocaína, originária do Paraguai e destinada a Serra Gaúcha. Destacou que o chefe seria Jarvis Pavão que, mesmo preso no Paraguai na época, adquiria o entorpecente produzido nos países andinos para fornecê-los ao demais integrantes do grupo, que residem no Brasil. Três deles coordenavam as atividades da organização em território nacional e os outros dois eram responsáveis pelo transporte da mercadoria ilícita.

O autor sustentou ainda que Pavão seria um dos maiores narcotraficantes da América Latina e que utilizava suas fazendas localizadas no Paraguai para receber os carregamentos de cocaína dos países produtores para, posteriormente, serem encaminhados para o Brasil, a Europa e os Estados Unidos. Ele ainda atuaria prestando auxílio, apoio e proteção a seus associados, providenciando inclusive advogado de defesa quando fosse necessário.

A denúncia foi recebida em março deste ano, já que o magistrado aguardou a conclusão do processo de extradição do réu Pavão para notificá-lo para apresentar defesa prévia. A medida foi adotada para conferir maior celeridade ao ato e evitar despesas com tradução de documentos e outros procedimentos junto à Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal. Os sete réus respondem por crimes de tráfico internacional e associação para o tráfico.

Operação Coroa

A Polícia Federal deflagrou a Operação Coroa em agosto de 2017 com objetivo de desarticular grupo criminoso responsável pela distribuição de drogas no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso do Sul. Os agentes cumpriram sete mandados de prisão preventiva e nove, de busca e apreensão nas cidades de Caxias do Sul e Ponta Porá (MS), e em Assunção, no Paraguai. A Operação foi denominada de Coroa em razão da admiração que um dos investigados tem por esse objeto, o que inclui uma tatuagem.

Veja mais Notícias

Justiça Federal em Uruguaiana (RS) condena cinco pessoas por fraudar seguro-desemprego

20 de julho de 2018
A 1ª Vara Federal de Uruguaiana condenou cinco pessoas acusadas de formar uma quadrilha organizada para fraudar o seguro-desemprego. O líder seria um servidor público do

JFRS realiza doações de autos findos para reciclagem de papel

20 de julho de 2018
Como parte de uma série de ações de responsabilidade ambiental e social, a Justiça Federal do RS continua com a doação de autos findos para reciclagem. A Associação dos

Instauração de inquérito ou ação penal não é causa para indenizar por danos materiais e morais, decide JFRS

20 de julho de 2018
Apenas se for comprovada a ocorrência de dolo ou abuso de autoridade na tramitação do inquérito ou do processo judicial é que poderá configurar a atuação estatal fora dos