Operação Timoneiro: Justiça Federal autoriza buscas e prisão preventiva de servidor do Ministério do Trabalho e Emprego em Caxias do Sul

25 de abril de 2018

A 5ª Vara Federal de Caxias do Sul (RS) autorizou a prisão preventiva de um servidor do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) acusado de participar de um esquema de concessão irregular de seguro-desemprego na modalidade defeso. Por meio da inserção de dados falsos no sistema da instituição, teriam sido concedidos indevidamente quase 7 mil benefícios, causando mais de R$ 20 milhões em prejuízos aos cofres públicos.

A prisão ocorreu na manhã desta quarta-feira (25/4), durante a deflagração da Operação Timoneiro pela Polícia Federal (PF). Os agentes da PF também cumpriram mandados de busca e apreensão no local de trabalho e na residência do suspeito.

As investigações iniciaram a partir de um relatório elaborado pelo MTE, que identificou 6.988 requerimentos de seguro-defeso com indícios de irregularidades. O servidor detido possuía senhas de acesso a registros de cidadãos em diversas regiões do país e é suspeito de ter realizado as alterações nos dados cadastrais que possibilitaram o recebimento do benefício, destinado a pescadores artesanais, a quem não tinha direito.

Segundo informações da PF, mais da metade dos saques dos valores desviados foram levantados no Amapá. Após a conclusão das investigações, o inquérito deve ser encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF), que decidirá se haverá oferecimento de denúncia.O servidor somente se tornará réu após o recebimento da denúncia.

Sobre o seguro-defeso

Seguro-defeso é um benefício pago ao pescador artesanal que fica proibido de exercer a atividade pesqueira durante o período de defeso de alguma espécie. A partir de abril de 2015, a habilitação e concessão do seguro-defeso cabem ao INSS e a gestão cabe ao Ministério do Trabalho e Emprego. O benefício tem o valor de um salário mínimo mensal e é pago enquanto durar o defeso, até o limite de cinco meses. A duração do defeso é definida pelo Ibama, de acordo com a época de reprodução de cada espécie.

Com informações da 5ª Vara Federal de Caxias do Sul e Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Sul

Veja mais Notícias

Justiça Federal em Uruguaiana (RS) condena cinco pessoas por fraudar seguro-desemprego

20 de julho de 2018
A 1ª Vara Federal de Uruguaiana condenou cinco pessoas acusadas de formar uma quadrilha organizada para fraudar o seguro-desemprego. O líder seria um servidor público do

JFRS realiza doações de autos findos para reciclagem de papel

20 de julho de 2018
Como parte de uma série de ações de responsabilidade ambiental e social, a Justiça Federal do RS continua com a doação de autos findos para reciclagem. A Associação dos

Instauração de inquérito ou ação penal não é causa para indenizar por danos materiais e morais, decide JFRS

20 de julho de 2018
Apenas se for comprovada a ocorrência de dolo ou abuso de autoridade na tramitação do inquérito ou do processo judicial é que poderá configurar a atuação estatal fora dos