Portal da Justiça Federal da 4ª Região
Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
Seção Judiciária de Santa Catarina
Seção Judiciária do Paraná
Intra da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul
M
A+
A
A-

TNU autoriza saque do PIS de trabalhador desempregado há mais de 20 anos

13 de setembro de 2012

A Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais (TNU) autorizou que um trabalhador desempregado involuntariamente há mais de 20 anos efetuasse o saque de cerca de R$ 950,00, quantia disponível na sua conta do Programa de Integração Social (PIS). O beneficiário alegou estar passando por uma série de problemas financeiros, além de sofrer de transtornos mentais e comportamentais e atrofia muscular, que o obriga a se locomover apenas por meio de cadeira de rodas.

O julgamento ocorreu ontem (11/9) durante sessão da TNU, reunida na sede da Seção Judiciária do Paraná, em Curitiba (PR).

No acórdão recorrido, a 1ª Turma Recursal da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul havia julgado improcedente o pedido, por entender que as razões apresentadas pelo trabalhador não se enquadravam nas hipóteses previstas na Lei Complementar 26, de 1975, para autorização da retirada do benefício. A legislação que regula o PIS estabelece que o saque só pode ser feito em algumas situações específicas, como ocorrência de casamento, aposentadoria, invalidez, morte, entre outros casos.

Entretanto, o relator do caso na TNU, juiz federal Janilson Siqueira, justificou em seu voto que já há um entendimento da própria Turma Nacional no sentido de se flexibilizar a interpretação das hipóteses previstas para retirada do PIS, principalmente, em casos nos quais os trabalhadores estejam desempregados há mais de três anos. De acordo com o magistrado, “desde que fique comprovada a situação de desemprego involuntário, justifica-se a aplicação analógica da Lei 8.036, de 1990”, a qual dispõe sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Saiba mais

O PIS tem a finalidade de promover a integração do empregado com o desenvolvimento da empresa. Por meio do cadastramento no Programa, o trabalhador recebe um número de inscrição, que possibilitará consulta e saques dos benefícios sociais administrados pela Caixa Econômica. A inscrição é realizada apenas uma vez, pelo empregador, no primeiro contrato de trabalho com carteira assinada.

Quem se cadastrou no PIS até 4 de outubro de 1988 e recebeu Quotas de participação PIS/PASEP, pode ter saldo de Quotas. O saque das Quotas pode ser solicitado a qualquer momento, exclusivamente nas agências da Caixa Econômica, desde que o trabalhador preencha os requisitos estabelecidos na Lei Complementar 26, de 1975.

Fonte: Imprensa CJF

Processo nº 2010.71.50.015743-0

OUTRAS NOTÍCIAS

Unidade avançada de Torres (RS) tem jurisdição ampliada
25 de julho de 2017
Foi publicada hoje (25/7), no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região, a Resolução nº 76, que amplia a jurisdição da Unidade Avançada de Atendimento (UAA) de [Leia mais »]


Advogados já cadastrados no eproc da Justiça Federal da 4ª Região têm acesso automático aos processos da TNU
24 de julho de 2017
O eproc – processo judicial eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região – está em funcionamento desde a última segunda-feira (17/7) na Turma Nacional de [Leia mais »]


Justiça Federal determina emissão urgente de passaporte a estudante de Santa Maria (RS)
21 de julho de 2017
O 1º Juizado Integrado de Santa Maria (RS) determinou à União que emita, com urgência, um passaporte para uma estudante do município. Ela foi selecionada para cursar o [Leia mais »]


Justiça Federal em Santa Rosa (RS) condena falsa advogada por fraude contra o INSS
20 de julho de 2017
A 1ª Vara Federal em Santa Rosa (RS) condenou uma moradora de Porto Vera Cruz acusada de participar de fraudes contra o Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS). Fazendo-se [Leia mais »]


Justiça Federal em Santa Cruz do Sul (RS) condena homem por falsificação de dinheiro
20 de julho de 2017
A 1ª Vara Federal de Santa Cruz do Sul condenou um morador de Rio Pardo pelo crime de falsificação de moeda. A sentença, publicada no dia 3/7, é da juíza Dienyffer Brum de [Leia mais »]


Rua Otavio Francisco Caruso da Rocha, 600 - Bairro Praia de Belas - CEP 90010-395 - Porto Alegre (RS) - PABX (51) 3214 9000